PH Básico e sua essência

Escrever sobre empreendedorismo feminino é quase como levantar a bandeira da liberdade da mulher contemporânea que tem a força da realização (realidade + ação) muito evidente em vários segmentos da nossa sociedade pós-moderna, inclusive na moda. Eu amo este tema e ele irá rolar por aqui no blog muitas e muitas vezes!

A moda autoral vem ganhando espaço em diferentes regiões do Brasil, inclusive na Fronteira Oeste do Rio Grande do Sul, com marcas charmosas e cheias de essência, aderindo ao movimento slow fashion que bate na tecla do “fazer moda sem pressa”, respeitando o tempo de confecção de cada peça.

As empreendedoras , Greice e Ana Maldonado

Lançada em plena pandemia, a PH Básico com suas t-shirts, completou um ano em setembro de 2021, em home-office, de acordo com as restrições impostas pelo covid-19. Enquanto o mundo inteiro se debatia frente à insegurança econômica, elas sonhavam. Mais do que apenas sonhar, elas agiam, planejavam e pensavam numa roupa confortável e básica para as mulheres usarem em casa, no trabalho, em frente às câmeras do mundo! Em lives, transmissões ao vivo, reuniões online, etc e etc. O mundo já não era o mesmo e a moda também não. Neste contexto nasceu a marca.

Uma história de afeto e algodão

Não é só mais uma marca, que fique bem claro. Mas uma marca que carrega a essência básica do conforto e uma boa dose de afeto na confecção das peças 100% algodão. Para as irmãs empreendedoras ter uma marca própria tem muito significado. “Criar produtos com nossa identidade, com a nossa essência e com a matéria prima de nossa escolha é sensacional. É maravilhoso poder imaginar, colocar no papel e depois ver a peça pronta, do jeitinho que sonhamos”, disse Greice, lembrando que nem tudo é fácil como parece: “É como um filho, pois todo esse processo leva meses e isso a maioria das pessoas nem sabem. Por mais que sejam camisetas básicas, a produção não é tão simples. Desta forma entendemos que nossas peças também carregam sentimento, todo esse afeto que colocamos em cada etapa”.

Apesar de serem peças básicas, as empreendedoras optaram por contratar estilista com a qual trabalham em conjunto. Greice conta que ela e a irmã Ana fazem uma pesquisa do que desejam criar, enviam as referências para a estilista e juntas decidem o que é possível confeccionar. Com o molde pronto e ajustado na modelagem ideal, ele é enviado, junto com as malhas à PL encarregada da produção.

Pandemia x look do dia

Ana conta que a decisão de lançar a marca durante a pandemia foi através de uma necessidade delas próprias. “Assim como nós, muitas pessoas nesse período estavam mais reclusas, praticamente sem vida social, sem viagens e trabalhando em home office. Percebemos a necessidade de algumas mulheres que, pela sobrecarga do momento, estavam cuidando menos da aparência. Para solucionar essa questão, tivemos a ideia de produzir t-shirts básicas, confortáveis e versáteis, que pudessem facilitar a vida dessas mulheres no dia a dia, fazendo com que elas se sentissem bem arrumadas sem investir muito tempo na hora de escolher o “look do dia”.

As charmosas t-shirts PH Básico são para mulheres que tem uma vida dinâmica, que gostam de estar bem vestidas e prezam o conforto. As mulheres são multitarefas, muitas trabalham fora, cuidam da casa e dos filhos, nada melhor que uma roupa básica, confortável e versátil.

Marca própria

Uma marca própria tem vantagens únicas, como criação do produto com identidade e essência, mas também tem pontos negativos, apontados pelas empreendedoras, como depender de terceiros para a produção.

Outra situação bastante comum, mas já ultrapassada, que vai na contramão da revolução da moda e precisa (urgentemente) ser descartada, deletada, é a ideia que produtos de fora (tanto cidade, quanto país) são melhores, tem mais qualidade e dão mais status do que usar algo local. Eu pergunto: isso ainda existe? Sim, dizem as empreendedoras. No entanto, elas contam que, por outro lado, tem pessoas que super valorizam, elogiam, curtem e fazem propaganda dos produtos da PH Básico. “Isso é muito legal. Tem muitas mulheres que são clientes desde o início, super fãs e isso não a dinheiro que pague”, declarou Greice.

O digital foi fundamental no lançamento da marca, principalmente pelo fato da marca não possuir espaço físico. Porém, muitas das clientes não são do mundo digital e vieram por indicação de amigas e clientes, ou seja, o velho boca-a-boca ainda é usado para expandir os negócios.

Quer conhecer mais a marca? Visite o instagram da PH Básico @phbasicobrand

Giovana Petrocele